Coisas que ninguém te conta da vida pós-escola

15:45

Oi gentes, tudo bem?
Eu sempre ouvi um milhão de coisas sobre como seria minha vida depois da escola. Sempre ouvi que eu deveria estudar muito, ter muitos amigos, ser isso, ser aquilo, fazer essa ou outra coisa e que todas elas me levariam ao caminho do sucesso.
Eu fiz uma lista com coisas que nunca me contaram - ou se me contaram, eu não dei bola - sobre a vida depois da escola.


Socialmente:
Você terá bem menos amigos
Com o passar do tempo você fica extremamente seletivo com o tipo de pessoa que se relaciona. Acredite em mim: se você acha que é uma pessoa muito crítica agora, isso piora muito com o passar do tempo. Além de que você percebe que alguns "amigos" abusam mais de você e te fazem mais mal do que bem - e se fazem bem é muito pouco comparado aos deslizes.
As pessoas não são tão gentis
É engraçado porque você já deve achar isso de muita gente, e se você é como eu, já ficou espantado e até chorou por alguma coisa feita de má vontade ou feita por pura maldade. Eu sinto lhe informar que isso piora bastante quando você ingressa na faculdade e/ou no mercado de trabalho. Dica: as pessoas mais gentis e que sempre vão te ajudar de alguma forma são as pessoas mais simples e que todo mundo despreza: tias do banheiro/faxina, tia do café, recepcionistas, porteiros, etc. As dicas deles valem ouro e a amizade também: eles sempre sabem os podres de todo mundo também.
Você se sentirá mal pelos seus antigos colegas de classe
Se você acha que aquele seu amiguinho de sala é bem burrinho e precisa viver para aprender muita coisa, você ficará mais mal ainda quando parar de conviver com eles. É textão no Facebook sendo machista, homofóbico, racista, preconceituoso... É querendo cagar regra na vida dos outros com política ou religião. É bem complicado e você pensa muito: e essa pessoa estava aonde quando estávamos discutindo na aula? Ao mesmo tempo você se sente bem por ter tomado um rumo diferente.
Acadêmico:
Essa não é a decisão da sua vida
Você lembra do que você gostava com 7 anos? É a mesma coisa que você gosta com 17? Mesmas músicas, mesmas roupas, cabelo, maquiagem, perfume, comida? Você não mudou nadinha de nada? Eu duvido! Justamente por isso que eu falo que nem aquela sua tia que quer te motivar: decidir sua profissão pelo resto da vida não é sua decisão aos 17 anos. Ou talvez você até queira ser a mesma coisa daqui alguns anos, mas isso só o tempo dirá.
Cursos são incríveis
Aqui no blog você me viu falar diversas vezes que eu tive que trancar a faculdade e que estou muito feliz agora que eu voltei, certo? Quando eu parei realmente parecia o fim do mundo e eu estava muito triste, mas com o passar do tempo eu pensei e pesquisei muito sobre moda e se eu realmente queria continuar cursando aquilo. Meu pai sempre me disse para fazer cursos antes de entrar na faculdade: normalmente cursos levam 6 meses e são bem mais baratos do que 6 meses de mensalidade numa faculdade. Se você não gostar, pensa em outra coisa e muda de curso.
Quem faz a faculdade é você
Acho que nem preciso falar muito sobre isso, mas do que adianta você estudar numa faculdade de nome e/ou extremamente cara se você é um aluno horrível que não estuda e não liga pra nada?
Nome de faculdade é igual papel higiênico
Existem marcas melhores, existem marcas piores,  mas todos eles vão limpar a sua bunda do mesmo jeito. Ok, você não vai limpar sua bunda com seu diploma - ou talvez vá, a decisão é sua -, mas sempre falam muito de faculdades muito caras ou de como você deve se matar para estudar em faculdade pública - e acham isso lindo né? - e você vai perceber que isso não é bem verdade. Em crise estamos todos no mesmo barco.
Profissional:
Ninguém nunca te acha bom o bastante para começar no mercado de trabalho, aí você se especializa em absolutamente tudo o que pedem: pacote Office, pacote Adobe, pacote Corel, inglês fluente, outros idiomas, português impecável, cursos extras, comunicativo, aprende até HTML e PHP. Pra quê? Você não tem a maldita da experiência.
Você ouve a vida inteira que deveria estudar muito para ser alguém e quando você sai da escola você percebe que deveria ter trabalhado muito tempo. Mas pera, você também não teria conseguido porque seria jovem demais e faltaria experiência. Você precisa de experiência para ter experiência e ninguém quer te oferecer experiência. Confuso, eu sei, mas você vai entender.
E digo mais: você não vai ficar rico da noite pro dia mesmo que se mate de estudar. Falo isso não porque eu sou a pessoa mais estudiosa que cursa medicina, mas sim porque é a realidade do lugar onde a gente mora. E vale acrescentar também que a realidade da classe média é diferente da classe baixa que é hiper diferente da classe alta. Cada um sofre de um jeito na sua realidade e isso é extremamente duro de acordo com a realidade da pessoa.
Com amor,
Querida Asquini.

You Might Also Like

0 comentários

Sobre

Larissa Honorato
Apaixonada por música, moda, fotografia e comportamentos sociais. Procuro instigar o questionamento e a curiosidade das pessoas para que sempre se descubram e reconstruam.