The Kooks e o show que todo indie deve ir

15:42

Foto: El Estimulo
Achar bandas legais alguns anos atrás era bem mais difícil do que hoje em dia. Não tínhamos Spotify e qualquer indicação era super bem vinda já que para baixar música levava um século e tinha que valer a pena o tempo e a internet investida - os vírus adquiridos também.
Numa das minhas caçadas virtuais no Tumblr em meados de 2008 eu vi uma foto da banda e fiquei interessada - afinal, bandeira britânica, estilo alternativo e música nova era tudo o que nós queríamos quando éramos adolescentes.
Acredito que a primeira música que eu ouvi foi "She Moves in Her Own Way" e logo em seguida fui pesquisar sobre e acabei ouvindo "Naive" e posso dizer que foi paixão ao primeiro play.
Ainda não tínhamos muitas informações sobre a banda, mas em um reblog falando sobre os Kooks eu descobri que o nome da banda era originado de uma música do David Bowie - e fala sério quem não gosta de quem gosta do Bowie boa gente não é.



Em 2009 eu soube que eles viriam para São Paulo tocar no falecido Via Funchal e nem pedi para minha mãe porque o único show que eu tinha ido até então era High School Musical no estádio do Morumbi em 2007 e um show do Rappa no Sesc e obviamente ela não me deixaria ir sozinha num show de uma banda que ela nunca tinha ouvido falar.
Sofri calada e continuei acompanhando todos os trabalhos até que em 2015 teve o Lollapalooza e me senti realizada quando estava com os ingressos na mão pronta para assistir o show.

Uma das únicas fotos que ficou decente durante o Lollapalooza 2015. Foto por: Larissa Honorato/Querida Asquini.

Certamente foi um dos shows que eu mais dancei e pulei na vida porque era aquela vontade acumulada e muito indie tocando alto numa vibe que só o Lollapalooza sabe fazer.
A banda é tão completa no palco que é impressionante de se ver e ouvir. Luke - o vocalista - sabe como conduzir o público de uma forma alegre e ao mesmo tempo contida - no melhor estilo britânico - coisa que eu senti muita falta quando assisti o Arctic Monkeys em 2014: ser indie-alternativo-depressivo-alegre e entreter o público sem parecer antipático.
Todo mundo que curte dançar um bom indie certamente já rebolou a bundinha em frente ao espelho enquanto cantava "Naive" ou se sentiu bad girl/boy cantando "Bad Habit" e é justamente por isso que você deve ir ao show deles: é como se você estivesse dançando e cantando no seu quarto só que acompanhado de um monte de gente que é tão esquisita quanto você e tem coisa melhor do que isso num show: se sentir livre pra dançar e cantar do jeito que achar melhor?



A música foi feita em homenagem ao pai do Luke e a letra é tão amorzinho quanto a melodia.


Certamente Sway é uma das minhas favoritas portanto fica aqui a minha indicação.

The Kooks tem apenas quatro álbuns de estúdio e doze anos de carreira. Na minha opinião Konk e Listen são os dois melhores e você pode ouvi-los no Spotify.
Pra quem quiser ter essa experiência maravilhosa basta garantir seus ingressos aqui porque os caras tocam em Sampa em 26 de outubro e no Rio de Janeiro em 27 de outubro.
Se você for, depois me conta o que achou!


You Might Also Like

0 comentários

Sobre

Larissa Honorato
Apaixonada por música, moda, fotografia e comportamentos sociais. Procuro instigar o questionamento e a curiosidade das pessoas para que sempre se descubram e reconstruam.