Vá E Faça

17:13

Esses dias o secador de casa quebrou e foi um terror porque usamos praticamente todos os dias para fazer escova e deixar os cabelos lisos e, como se não bastasse, a chapinha também não estava das melhores e eu ia sair a noite.
Confesso que na maior parte do tempo eu tenho uma auto estima inabalável e realmente me acho "um mulherão da porra", mas diante daquela situação, parecia que meu mundo ia acabar e eu seria a mulher mais feia do passeio: tudo isso porque eu nunca deixo meu cabelo natural - que é cheio de "cachos" e bem armado.


Pois bem, meu cabelo secou naturalmente e fiz jus ao meu signo: uma baita jubona de leão bem cheia e bagunçada. Pronto, lascou. Prendi em rabo de cavalo e fui almoçar ouvindo comentários sobre como meu cabelo estava bagunçado e "o secador temporário daria um jeito" e aquilo me murchou tanto que simplesmente liguei a chapinha - quebrada - na tomada e fiquei tentando alisar os cachos por pelo menos uma hora - inutilmente.
Na hora de sair ele estava aparentemente comportado, mas ao pegar dois minutos de vento ficou mais estranho ainda: metade liso, metade ondulado e com um frizz desgramado. Daí a minha solução foi fazer um coque - e eu não sou muito fã de prender o cabelo - e passei o resto do passeio assim.
No dia seguinte eu entendi o terror das cacheadas com o famoso "day after" porque parecia que cachorros tinham lutado na minha cabeça. Estava quase chorando quando falei: vou passar um creme para pentear, umedecer com protetor antitérmico e ver no que vai dar. Tive aquele pensamento "bem otimista": pior do que está, não fica.
Eis que quando soltei meu cabelo parecia coisa de filme - eu juro - e os cachos estavam lindos - daquele jeito que a gente sempre sonha quando faz babyliss. Fiquei me olhando no espelho sozinha e escorreu uma lágrima porque eu finalmente entendi porque a transição capilar é tão emocionante para as meninas: o tanto de dedo apontando na sua cara falando que aquela bagunça não é divertida ou linda, é bizarro.



Eu sempre gostei muito do meu cabelo liso e fazia anos que eu não o deixava natural - acredito que a última vez tenha sido em 2013 quando estava na praia -, mas até então não tinha visto o quanto eu estava escrava do secador - porque eu não uso chapinha.
E um cabelo - por mais besta que seja - me fez tomar outra decisão (nesse pulo de coragem de me deu) que foi a de não continuar na faculdade nesse semestre. E sim, eu sei como diploma é importante na nossa geração e que eu já parei uma vez e que eu já vou fazer vinte anos, mas acontece que quando eu não estou feliz com alguma coisa, eu priorizo todas as outras que não são minha felicidade tais como o bem estar de todo mundo, trabalho, faculdade, títulos e mais títulos.



Eu nunca tomei uma decisão tão minha quanto essa porque eu olhei para dentro e disse: você está feliz? Você se sente completa? Isso faz algum sentido para você? Porque eu não sei se vocês sabem, mas eu trabalho dez horas por dia e atravesso a cidade para estudar numa faculdade que está sendo sucateada e jogando meu dinheiro fora.
Pensei em tudo isso e teve um plus: desde que eu comprei a câmera, não tive tempo de estudar fotografia que é um sonho meu desde que eu tinha dez anos. E é isso que eu vou fazer esse semestre: eu me dei tempo de presente. Tempo este que nunca apreciei desde que comecei o ensino médio.
Então é, vou estudar um pouco fotografia, fazer uns cursos de jornalismo de moda, tirar foto das minhas amigas, família e namorado. Vou me curtir.

Nessas fotos eu estava com o violão na mão - aprendi a tocar com quatorze anos -, mas faz bem uns três anos que não toco sozinha, apreciando meus dedos tortos e minha voz melódica. Depois dessas fotos e desse dia - tudo por causa de um cabelo - que eu decidi que eu me merecia de presente.
E você se merece também porque, por mais que sonhos não encham a barriga, nós enchemos o coração com eles e é isso que nos mantem vivos - e acreditando.
Obrigada Vic Ferreira por ter me influenciado a me sentir livre com a minha jubona - que prometo deixar natural mais vezes daqui para a frente, e vou deixá-la crescer -, por ser linda por dentro e por fora e que, se não fosse pelo seu tom de pele e tipo de cabelo parecido com o meu, eu jamais me sentiria tão linda quanto me senti com os cachos/ondas. Obrigada de verdade.
E ah, mais uma revolução para mim: meus peitinhos naturais estão sem bojo nas fotos - o que é realmente um milagre.
Fotos por Lucas Souza // No look: Calça cintura alta - Lança Perfume | Regata: Forever 21 | Top: Colcci // Maquiagem: Delineador - Quem Disse Berenice | Batom: Paola - Pausa Para Feminices

Até o próximo post!


You Might Also Like

1 comentários

Sobre

Larissa Honorato
Apaixonada por música, moda, fotografia e comportamentos sociais. Procuro instigar o questionamento e a curiosidade das pessoas para que sempre se descubram e reconstruam.