Vídeo: Uma Atitude Covarde?

22:15

Quando me afastei da internet para pensar sobre o tipo de conteúdo que eu gostaria de produzir, me vi lendo diversos comentários de parentes e pessoas que acompanham meu trabalho falando que eu deveria abordar mais o tema saúde no meu canal - uma vez que meu vídeo mais visto é sobre minha septoplastia e o que falo sobre anticoncepcional - e decidi que é algo que quero falar sobre.

Recentemente gravei um vídeo contando sobre minha ansiedade e tudo caminhava bem, até que novamente fui pega de surpresa como um tiro no peito quando a notícia sobre a morte de Chester Bennington veio a tona.
Chester Bennington - Linkin Park
Foto: Pinterest
Foi então que eu decidi que deveria abordar o tema no canal, por mais pesado e doloroso que isso possa soar. Por mais que esse vídeo não seja aquele que vai tornar seu dia extremamente feliz, mas espero que o deixe pensando sobre o assunto. Espero que reflita sobre as pessoas ao seu redor, talvez tanto quanto 13 Reasons Why abalou o mundo com o tema.
Linkin Park é uma banda engraçada porque ela simplesmente uniu todas as tribos. Não conheço uma única pessoa que não saiba cantarolar alguns hinos do primeiro disco. Não importa se você não continuou acompanhando a banda ou gostando de rock: em algum momento eles fizeram parte da sua vida, principalmente da sua infância e adolescência.
Houve uma época que minha irmã simplesmente me tornou uma odiadora de Creed e Linkin Park porque ela colocava os CDs no rádio de casa todo santo dia, entretanto eu sabia - com a minha inocência infantil - que aquelas bandas ajudavam minha irmã a suportar a escola. Mais tarde, as mesmas bandas - e muitas outras - me fizeram companhia e me fizeram sentir acolhida.
Talvez mais que isso: senti que pertencia a algum lugar. E desde então, música é pelo menos 70% da minha vida. Sou completamente musical. Música é literalmente a minha religião.
Nesse último show da banda, Chester estava melhor do que nunca. Sua voz estava limpa, seu corpo estava definido e ele estava tão cheio de energia e sorridente que era contagiante. Quando o coral veio a tona em "In The End" era engraçado olhar para os lados e ver as pessoas chorando e embasbacadas pelo volume das vozes de uma geração inteira sendo representada.
Eu realmente espero que a cada vídeo que eu postar, pelo menos uma pessoa reflita sobre o que eu falo e também discuta comigo sobre. Quanto mais falarmos sobre absolutamente tudo, melhor.
Prometo que o vídeo de quinta feira será muito mais divertido e sobre outro assunto que não é polêmico ou pesado, mas nesse momento, ele se fez necessário para mim e espero que seja necessário para você.


Algum dia ainda escrevo sobre Chezz e Chris de uma forma mais profunda, por enquanto eu sigo sentindo a falta de ambos como se fossem meus amigos. Por enquanto ainda dói e está tudo bem. Diga o mesmo para si: está tudo bem chorar. Vai passar.
Obrigada por tornarem a minha vida mais fácil, leve e divertida. E aos meus ídolos - apesar de não gostar dessa palavra - obrigada por acolherem milhares de pessoas, por curarem todas elas mesmo que não tenham conseguido curar a si mesmos. Eu amo todos vocês do fundo do meu coração.
Fiquem bem. Vejo vocês no próximo post.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Penso exatamente como você. Ninguém tem sabedoria e onisciência para julgar um suicida. Todo ser humano tem como instinto a vida, a sobrevivência; ninguém tem como instinto dar termino da própria vida. A pessoa que chega a cometer um suicídio tem que passar por um processo extremamente dolorido e de total impotência, aniquilamento e ausência do poder de escolha entre viver ou morrer. Fruto de um total aniquilamento interior. A própria Igreja Católica, através de uma assembleia dos bispos da Alemanha, na década de 80, chegou a essa conclusão: "só Deus pode julgar um suicida. Nenhum ser humano deveria julgar um suicida". Concordo com você que não temos o direito de dizer se a pessoa foi fraca ou forte perante alguma situação pela qual passou e a levou ao suicídio. Quem somos nós para julgar tal coisa ?. O suicídio é algo muito, muito triste; e me faz pedir a Deus que me faça seu instrumento para levar , de alguma forma, luz e conforte a esses desesperados. Cada um de nós tem o "poder" de acrescentar um pouco mais de luz a este mundo, para que menos pessoas fiquem em tal estado aniquilamento espiritual. Eu pessoalmente vejo a Deus como um Ser extremamente Sábio e que conhece na sua intimidade o barro com o qual fomos construídos. Ele entende todas nossas fraquezas, pois afinal, creio que Ele é Aquele que nos arquitetou, nos moldou e nos programou. Portanto, Ele sabe quais são todos nossos segredos, medos, alegrias e tristezas do mais profundo de nosso ser. Creio que Deus é muito maior do que se ensina nas religiões e na filosofia. E a engenhosidade do mundo nos da prova disso. Deus há de dar o descanso e a paz a esse artista por quem tinha tanta admiração. Sua voz nos fez muito bem, enquanto ele esteve neste mundo, e Deus sabe disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada por comentar. Não sabia dessas informações e fico feliz que você saiba ouvir e respeitar outras pessoas mesmo sendo religioso. Isso está cada vez mais difícil :(

      Excluir
  2. Larissa, concordo exatamente com tudo o que você disse e achei super importante você abordar esse assunto da forma que abordou. Você foi muito clara, respeitosa e direta. Me inscrevi no seu canal e espero que você continue compartilhando seus pensamentos e levantando debates e trazendo reflexões que agreguem positivamente na vida das pessoas. É isso que falta no youtube hoje.

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada mesmo pelo seu comentário. Sério mesmo. Fiquei muito feliz e pode deixar que vou sempre conversar sobre esses assuntos. Beijos ♥

      Excluir

Sobre

Larissa Honorato
Apaixonada por música, moda, fotografia e comportamentos sociais. Procuro instigar o questionamento e a curiosidade das pessoas para que sempre se descubram e reconstruam.