Look: Meio Gótica, Meio Grunge

17:10

Oi gentes, tudo bem?
Sim, eu ando muito sumida daqui e do canal, mas é porque minha vida anda bem louca e corrida e no meio do caminho surgiram alguns problemas que muito provavelmente vão ser explicados nos vídeos que pretendo gravar daqui para a frente.
De qualquer forma, ando me descobrindo cada vez mais em relação ao meu estilo e acredito estar deixando isso bem impresso nas cores e formas dos meus looks.

Góticas também sorriem.
Acredito que o grande triunfo para você "ser estilosa" é conhecer a si própria de uma maneira muito profunda e íntima. Saber desde o que você gosta de comer até suas posições favoritas no sexo; quais cores você aprecia a qual sua parte do corpo predileta e porquê.
Diante de tanta informação e blogueira tão magra e "bem vestida" é fácil cair na armadilha de somente comprar o que está na moda e não saber exatamente quem você é. Estilo é uma questão de ser, não de ter e essa é uma lição que eu sempre tento ensinar para quem lê e assiste os meus vídeos.
Moda está totalmente ligada a música, política, personalidade. É uma expressão artística diária e sem limites - realmente sem limites.
Desde a morte do Chris Cornell, eu penso muito sobre como eu levo minha vida e reflito sobre quem eu me tornei. O suicídio de um dos artistas que mais me inspiraram no mundo foi praticamente um gatilho para mim e todos os dias eu penso nele e em como o grunge influenciou minha vida até agora.
Minha irmã escreveu um texto que expressa absolutamente tudo o que eu gostaria de dizer, mas não tive coragem e forças para fazer.
Penso muito sobre suicídio e como eu gostaria de abordar transtornos psicológicos nas minhas publicações. Sobre como música esconde as dores mais profundas e em como as pessoas andam a tratando com tanta superficialidade.
Quando falo sobre moda eu cito diversos fatores políticos que estão ligados a ela. Aliás, os maiores movimentos políticos também foram os maiores movimentos de moda, caso você ainda ache que isso é uma futilidade.
Grunge é um gênero musical com o qual eu sempre me identifiquei por ter letras estranhamente profundas, perturbadoras, sofridas e confusas. Acho que nunca deixei transparecer tanto quanto deixo agora no modo como eu me visto.
Finalmente sinto que cada peça que eu tenho no meu guarda roupa conta um pouco mais sobre quem eu sou. Fico feliz a cada comentário sobre minhas vestimentas - mesmo que para outras pessoas não soe tão legal - eu amo quando falam que "é um pouco esquisito" ou "é tudo preto demais". Para mim, dias nublados e frios não são dias feios assim como preto para mim é uma cor feliz.

A parte mais engraçada disso tudo - na descoberta de estilo e corpo - é que eu me permito experimentar o que antes eu provavelmente detestaria.
Antes eu jamais acreditaria em você se me dissesse que eu fico bem calça jeans ou que minhas pernas ficam igualmente bonitas dentro do um par de calças. Eu jamais acreditei quando disseram que ainda não tinha encontrado meu jeans perfeito e era por isso que eu não usava.
Todo mundo que me falou isso estava certo e hoje tenho a consciência de que, certas peças, tem que custar mais caro e que isso também garante uma qualidade extremamente superior.
Obviamente eu não pago R$500 numa calça jeans, mas sempre opto por pagar R$200 pelo simples fato de saber que durará bem mais do que comprar quatro de R$50. Hoje em dia meu foco é ter qualidade nas peças que eu uso, não quantidade.
Por exemplo, essa blusa - que tem manga 3/4 e seria super sem graça sem o recorte nos ombros - é da minha mãe há mais três anos - pra uma blusa básica, isso já é um senhor recorde - e duvido muito que ela tenha pagado mais de R$50 por ela.
Sei que a grande maioria das pessoas que leem os meus posts tem condições financeiras boas - apesar de muitas vezes nós duvidarmos disso - e mesmo assim optam por comprar peças de péssima qualidade, de fase e acreditam que pagam barato por elas. Acreditem em mim: pagar R$20 em blusinhas de fast fashion não é um bom negócio e não, eu não estou pedindo para você comprar uma blusa básica de R$200. Mas bem, isso é assunto para um vídeo bem longo.

No look estou com calça jeans Levi's, blusa básica preta que eu não faço ideia de onde vem - muito provavelmente de uma loja de rua chamada Delujô aqui em Sampa. Botas de cano curto de alguma loja de rua alternativa, bolsa com spikes da 25 de Março. Chapéu que custou R$30 também de uma loja da 25 de março.
O delineador é da Quem Disse Berenice? e o batom é o Cisne Negro da coleção Bruna Tavares para a TBlogs.
As fotos foram tiradas pelo boy Lucas Souza no condomínio dele.
Espero que tenham gostado e vejo vocês no próximo post. ♥

You Might Also Like

0 comentários

Sobre

Larissa Honorato
Apaixonada por música, moda, fotografia e comportamentos sociais. Procuro instigar o questionamento e a curiosidade das pessoas para que sempre se descubram e reconstruam.