Não estou pronta para o verão

00:32

Não, eu não malhei o suficiente durante o ano e acho que abusei das batatas fritas e chocolates, então minha bunda está um pouco flácida. Também não segui as tais dietas milagrosas que prometiam engordar em uma semana ou emagrecer em três dias.
Não tive dinheiro o suficiente para colocar silicone - e talvez nunca tenha -, nem para tentar os procedimentos estéticos das clínicas que juram que vão remover minhas estrias que surgiram quando eu tinha onze anos.
Não achei uma roupa de banho que me fizesse mais peituda, mais bunduda ou que fizesse com que minhas coxas parecessem do tamanho ideal. Não achei nada que fizessem minhas amigas pararem de se achar desproporcionais.
Não estou pronta para o verão.
Faz 35ºC lá fora e aqui dentro do quarto há uma enorme disputa pelo short ideal para água que cobrirá todas as estrias ou a parte de cima que não deixará "tudo muito estranho".
Há uma tentativa de cobrir cicatrizes e arranhões com maquiagem. Deixar a pele bronzeada com produtos antes mesmo de tomar sol. Ficar brilhante, com o cabelo impecável e pele de sereia.
Aqui dentro do quarto todas derretem com o calor da chapinha e do secador e passam maquiagem a prova d'água para ficarem bonitas "o mais natural possível".
Lá fora os garotos mandam a gente se apressar enquanto se divertem na piscina.
Aqui dentro ouço reclamações, choros, raiva, angústia e tristeza. Aqui dentro ouço um pouco de confiança, ouço "poderia ser pior, amiga, você poderia ter meu corpo" como se fosse um tipo certo de consolo. Ouço opressão, ouço padrão e sei que não estou pronta pro verão.

Ilustração por Cassandra Calin - rainha dos desenhos mais maravilhosos e representativos.

Bato as mãos nas coxas para chamar atenção, tiro a roupa e coloco o biquíni. Penteio os cabelos para trás e tiro a maquiagem, passando o lencinho para cada uma delas. Puxo os secadores e aparelhos das tomadas: "porra, a gente vai se molhar, é energia jogada fora".
Ouço mais reclamações, mais "eu não fico bonita de cabelo natural", "vou ficar toda cagada", "eu fico péssima sem maquiagem", etc.
Ouço mais insegurança, mais submissão e sinto mais calor.
Mando todas calarem a boca e se olharem no espelho naquele momento. Fazem, reclamando. Mando todas irem para a janela. Os meninos assobiam e pedem que desçam logo.
Pulamos na água, maquiagem arrancada, cabelo encharcado, shorts boiando na água, estrias a mostra e bumbuns balançando enquanto nadamos, flácidos. Uma olha para a outra em silêncio e com certa admiração.
Elas saem da água e meus amigos não param de falar como elas tem "um puta corpaço". A gorda, a magrela, a padrão. Todas elas. Dou risada e saio também - e me permito uma lágrima - porque nós não estamos prontas para o verão e nunca estaremos porque não existe perfeição e quer saber, desculpe mas não existe outra definição senão: foda-se.

Texto por Larissa Honorato.
P.S.: Acho importante ressaltar a todos os meninos e meninas que acessam esse blog que não existe padrão de mulher perfeita. Nós não somos as primeiras imagens do Pinterest quando se digita "bikini body" e, mesmo quando somos aquilo tem muita coisa por trás. Prometo que em breve venho com assuntos desse tipo aqui no blog e no canal e quero muito saber a opinião de vocês e contar com a ajuda de vocês para produzir esse tipo de conteúdo, então comentem, por favor! Amo vocês todos, seus lindos!


You Might Also Like

1 comentários

  1. Quanta representividade nesse texto :)
    Eu acho que as manas tem que se unir e dar um pé na bunda dessa sociedade padronizada e sem graça que temos que conviver.

    Beiuus guria :*

    ResponderExcluir

Sobre

Larissa Honorato
Apaixonada por música, moda, fotografia e comportamentos sociais. Procuro instigar o questionamento e a curiosidade das pessoas para que sempre se descubram e reconstruam.